FITOTERAPIA AYURVEDICA: MALVA BRANCA

Fitoterapia Ayurvedica: Malva Branca

A Malva Branca é uma planta ayurvedica, conhecida na Índia como Bala, seu nome cientifico é Sida cordifolia, deve-se evitar confundir com a Malva sylvestris que não é uma erva indiana. A Malva Branca vegeta em quase toda a extensão de nosso país e é uma planta histórica pois foi cantada pelo poeta romano Virgilio do século I antes de Cristo. Atinge cerca de um metro de altura com folhas de 2,5 a 5,0 cm com formato de coração. As pequenas flores são amareladas ou esbranquiçadas. Bala em sânscrito significa força, vigor e vitalidade, as raízes são resistentes e promovem energia e nutrição. Externamente o óleo medicado com Malva Branca é muito usado nas desordens do Dosha Vata: dores, reumatismos e edemas. Já internamente pode ser usado em uma decocção com leite para distúrbios do sistema nervoso ( Vata) e como rasayana ( rejuvenescedor), nutridor e estimulante do coração.
A erva é uma depuradora do sangue, promotora do tecido muscular, aumenta a vitalidade, sendo indicada nos casos de debilidade e fadiga. No Ayurveda utiliza-se, principalmente, as folhas, raízes e o óleo da semente para uso externo. Apresenta um sabor adocicado e uma potencia fria, beneficia os três Doshas mas pode agravar Kapha quando usada em excesso. Tem uma ação promotora dos tecidos orgânicos, fortalecedora, anabolizante, afrodisíaca, diurética, gera aumento de Ojas ( vitalidade), facilita a função respiratória, é tônica do coração, anti-oxidante, adaptógena ( anti-estresse), analgésica, anti-inflamatória e atua harmonizando o sistema nervoso.
Devido a suas múltiplas qualidades é indicada para as seguintes mazelas: fadiga, fraqueza muscular, disfunção erétil, distúrbios do sistema nervoso, sangramentos do tipo Pitta, neuralgias, dores ciáticas, dormências, reumatismos, processos inflamatórios, doenças neurológicas e respiratórias. O óleo medicado da planta está indicado na forma de massagens no caso de reumatismos, distúrbios músculo-esqueléticos e dores ciáticas. A dose diária é 1 a 2 gramas do pó que pode ser fervido com leite. Também pode ser utilizado 2 a 3 gramas da planta seca ou 4 a 5 gramas da planta fresca na forma de decocção em 200 ml de água, tomar 2 a 4 vezes ao dia. Lembre-se que esta erva ayurvedica não deve ser usada na gestação, em pacientes com hipertensão arterial, aumento do Dosha Kapha, obesidade e acumulo de Ama ( toxinas digestivas). “ Respeitando estas contra-indicações e as doses terapêuticas indicadas é uma planta medicinal segura e sua utilização segue a recomendação tradicional do Ayurveda: “Na região que nós vivemos é onde encontramos os alimentos, ervas e medicamentos naturais para tratar nossos desequilíbrios”.
Prof. Dr. Aderson Moreira da Rocha, médico de família, reumatologista, especialista em Acupuntura pela Associação Médica Brasileira e especialista em Ayurveda pelo Arya Vaidya Pharmacy e Associação Brasileira de Ayurveda. Telefone: (21) 25373251, www.ayurveda.com.br

Aderson Moreira da Rocha
Aderson Moreira da Rocha
Médico de família, reumatologista, acupunturista e especialista em Ayurveda pelo Arya Vaidya Phramacy, tradicional escola de Ayurveda do sul da Índia. Mestre e doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UERJ, presidente da Associação Brasileira de Ayurveda e autor do livro “ A Tradição do Ayurveda” pela editora Águia Dourada.
Recommended Posts