A canela apresenta o nome científico de Cinnamomum zeylanicum, em sânscrito é denominada twak já em inglês chama-se cinnamon. Esta planta medicinal é originária do Sri Lanka e do sudeste da Índia. Possivelmente alcançou o Egito e a Europa no século V a.C., foi mencionada por Heródoto, o famoso historiador grego. A canela teve muita influência no desenvolvimento das grandes navegações em fins do século XV e inicio do século XVI, dado ao valor e a procura desta especiaria na Europa.

Os portugueses conquistaram o Ceilão ( atual Sri Lanka) em 1505 movidos pelo interesse comercial na canela que era produto extrativo. A cultura da canela foi introduzida em Java em 1825 e posteriormente nem outros países, onde hoje é cultivada comercialmete, principalmente em Madagascar, Ilhas Seicheles e no Brasil. No nosso país vem se desenvolvendo e expandindo principalmente em São Paulo e na Bahia.

A planta medicinal é na verdade uma árvore aromática de  6 a 12 metros de altura, com folhas opostas, ovadas ou ovado-lanceoladas, trinervadas. Apresenta flores numerosas, reunidas em racemos ramificados e dispostos em panículas terminais, de cor esverdeado-amarelada. Possui um fruto do tipo drupa ovóide ou ovóide-oblonga, contendo uma semente elipsóide. A casca seca dos ramos jovens, desprovida da epiderme e da parte externa enroladas sobre si mesma e ou em pó, constitui a canela do comércio, usada desde a mais remota antiguidade como aromatizante com sabor típico e agradável, na culinária, em perfumaria e em farmácia. Dela se extrai industrialmente o óleo essencial.

No Ayurveda a canela possui os sabores picante, doce e adstringente e uma potência quente. Com relação aos Doshas a canela pacifica Vata e Kapha mas pode agravar Pitta Dosha. Possui ação nos sistemas circulatório, digestivo, respiratório e urinário. Os efeitos terapêuticos são: estimulante, diaforético ( promove sudorese), carminativo ( alivia gases e cólicas intestinais), depurativo, expectorante, diurético, analgésico, antiinflamatório, relaxante muscular, sedativa, digestivo e anti-espasmódico.

A literatura afirma que a canela pode ser usada para melhorar a circulação, combater hemorragia nasal, diarréia, dispepsia, flatulência, cólicas, tosse, bronquite, mucosidades, febres e vômitos. Pode ser utilizada em pó, 500 mg ao dia, ou em infusão na forma de chá da casca, 2 a 3 vezes ao dia. Este condimento é excelente quando utilizado moderadamente junto com gengibre e pimenta do reino para eliminar Ama ( toxinas ) e promover o Agni ( fogo digestivo).

Nos casos de gripe, resfriado, tosse com secreção podemos juntar a canela, folhas de hortelã e gengibre em forma de chá e depois colocarmos uma colher de sobremesa de mel de eucalipto. A canela deve ser evitada nos excessos de Pitta Dosha, porem nos outros casos pode ser usada com moderação sem problemas. O óleo essencial está indicado nas dores do tipo Vata ( reumatismo), associado ao óleo de gergelim, através de massagem local. Com tantas propriedades terapêuticas não podemos deixar de usar a canela na culinária mas também como planta medicinal.

Últimos posts por Aderson Moreira da Rocha (exibir todos)