Para compreender o corpo é preciso antes saber que toda a matéria do Universo, viva ou não, é constituída por 5 elementos, conhecidos como “Pancha Mahabhutas” (cinco elementos básicos): Céu ou Éter, Ar, Fogo, Água e Terra.

Estes elementos são como estados da matéria: a Terra representa o estado sólido; a Água, o líquido; o Ar, o gasoso; o Fogo, o poder de mudar o estado de qualquer substância; e o Éter, o elemento que é ao mesmo tempo a fonte de todos os outros e o espaço onde eles existem. Destes elementos, o Éter é o menos denso e a Terra a mais densa, sendo extremos da manisfestação de todas as matérias.

Os 5 elementos básicos aparecem sempre combinados de maneira inseparável na natureza; variam apenas em sua proporção relativa para conferir as qualidades diferentes de cada substância e isso permite classificá-la de acordo com o elemento mais predominante em sua estrutura. Exemplo: uma substância que, em condições normais, seja um sólido diz-se que está composta principalmente de Terra, mas os outros 4 elementos também entram na sua composição, porém em quantidades muito reduzidas. Prova disso é que se aquecermos o sólido, ele se liquefaz, manifestando o elemento Água; ao evaporar-se a Água, teríamos o elemento Ar. Toda essa metamorfose se dá no espaço, o elemento Éter, sob ação do calor e da luz do Fogo, o agente transformador.

Refletindo o Universo, nosso corpo também é composto por 5 elementos básicos. Os espaços dentro dele são manifestações do elemento Éter: espaços no nariz, na boca, no trato digestivo e no trato respiratório, no abdome, no tórax, nos vasos sanguíneos, nos tecidos e nas células. O elemento Ar é o elemento do movimento. Tudo que se movimenta no corpo, músculos, pulmões, células, impulsos nervosos, é governado pelo Ar corporal. Na natureza, o Sol é a fonte do Fogo e da luz. No ser humano, o elemento Fogo é produzido pelo metabolismo. Manisfesta-se na temperatura do corpo, na digestão, na inteligência e na visão. O elemento Água é considerado tão importante que no corpo é chamado de Água da Vida; é fundamental para o pleno funcionamento de órgãos e tecidos. Manifesta-se nos sucos digestivos, nas secreções das glândulas, no sangue. Do elemento Terra derivam todas as substâncias sólidas como a pele, cabelos, unhas, dentes, ossos, músculos e tendões.

O ser humano, porém, não é apenas produto da combinação destes 5 elementos. Ele possui o Eu imaterial. Nas palavras de Caraka, “a Terra está representada no homem pela dureza, a Água pela umidade, o Fogo pelo calor, o Ar pelo alento vital, o Éter pelos espaços e o Eu pelo espírito que mora em seu interior”.
Os Sentidos
Toda esta teoria cósmica dos 5 elementos só se torna importante se compreendermos sua função de ligação entre nós e o meio que nos cerca. Esta ponte se estabelece na manifestação destes elementos nos cinco sentidos do homem, ou seja, na capacidade que temos de perceber o mundo e de interagir com ele, através de cinco ações principais que são reflexos desta percepção sensorial.

Cada elemento básico apresenta uma relação direta com os órgãos dos sentidos e os mediadores de percepção correspondentes. Assim, os elementos Éter, Ar, Fogo, Água e Terra correspondem, respectivamente, à audição/ouvido, ao tato/pele, à visão/olhos, ao paladar/língua e ao olfato/nariz. Da mesma maneira, estes elementos têm correspondência com a ação e com os órgãos da ação.

Aderson Moreira da Rocha

Médico de família, reumatologista, acupunturista e especialista em Ayurveda pelo Arya Vaidya Phramacy, tradicional escola de Ayurveda do sul da Índia. Mestre e doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UERJ, presidente da Associação Brasileira de Ayurveda e autor do livro “ A Tradição do Ayurveda” pela editora Águia Dourada.

Últimos posts por Aderson Moreira da Rocha (exibir todos)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *