Ayurveda, Yoga e Meditação no tratamento dos distúrbios mentais: uma visão integrativa

“Não há saúde sem saúde mental !” É muitas vezes, com essa frase que profissionais de saúde, movimentos sociais, organizações internacionais e mais recentemente, entidades governamentais têm reconhecido o papel central dos problemas de saúde mental na atenção a saúde das populações. Dados internacionais afirmam que doenças psiquiátricas contribuem, independentemente, com cerca de 14% da chamada carga global de doenças. Uma em cada 4 pessoas terá algum problema de saúde mental ao longo de sua vida.  Porem, com relação ao atendimento médico um estudo sugeriu que apenas 23% dos pacientes têm a oportunidade de finalizar suas frases acerca de suas queixas, com uma média de apenas 18 segundos antes de serem interrompidos. Outro estudo, distinto, demonstrou que a atitude do médico durante a entrevista pode ter influência marcante sobre o entendimento do caso, a adesão à terapêutica e a satisfação do paciente.

A Organização Mundial de Saúde afirma: “saúde é um estado de completo bem estar físico, mental e social, não apenas a ausência de doenças”. Porém saúde mental foi definido como: “a capacidade do individuo de apreciar a vida e buscar um equilíbrio entre as atividades e os esforços para atingir resiliência”. Para entender esta definição há que se compreender que resiliência psicológica é o processo e o resultado de se adaptar com sucesso as experiências de vida difíceis e desafiadoras através de flexibilidade mental, emocional e comportamental e ajustamento as demandas internas e externas

No Ayurveda encontramos 2 importantes definições de saúde:

1-“ Desejo pela ingestão de alimentos, digestão tranquila dos alimentos ingeridos, uma adequada eliminação de fezes, urina e flatos, leveza no corpo, estado agradável dos órgãos dos sentidos, um dormir e acordar confortáveis, uma obtenção de  energia, compleição, longevidade, felicidade e um equilíbrio do fogo digestivo, são caracte-rísticas de saúde e o estado oposto é o adoecimento”  Kasyapa Samhita

2-  “Uma pessoa está saudável quando Doshas, Dhatus (tecidos), Agni ( fogo digestivo) estão equilibrados, Mala (excreções) são eliminados adequadamente e quando o Atma (consciência, ser ou alma), mente e sentidos encontram-se em um estado agradável de felicidade.”  Susruta Samhita

A filosofia hindu explica que existem 3 qualidades na natureza que influenciam o ser humano, no Ayurveda estas qualidades são chamadas de maha gunas, ou seja, as grandes qualidades: Sattva, Rajas e Tamas.  Nesta filosofia médica  a predominância destas qualidades influencia a nossa mente, nossas tendências emocionais e as nossas respostas ou reações as situações.  Foi Susruta no seu Sarira Sthana explicou os  maha gunas da seguinte forma:

“Compaixão, tendência a distribuição adequada de alimentos, perdão, ser verdadeiro, ter fé, conhecimento intelectual, memória, moderação, e desapego são as qualidades de Sattva.  Infelicidade, tendência a vagar, impaciência, egocentrismo, falsidade, crueldade, fraudulência, insolência, luxuria e raiva são qualidades Rajas. Tristeza, tendência a desonestidade, bloqueio do intelecto, ignorância, malvadeza, inatividade e sonolência são qualidades de Tamas” (Susruta Samhita, trad. Sharma, 2005: vol II, p. 124)

O Bhava Prakasha, importante tratado ayurvédico do século XVI, coloca os maha gunas e suas características na mente:

As Características da mente predominante em Sattva: crente em Deus e nas palavras das escrituras, come apenas depois de selecionar alimentos adequados, ausência de raiva, fala apenas a verdade, inteligência, sabedoria, coragem, capacidade de perdoar, gentileza, conhecimento, ausência de orgulho, não se envolve em atos mesquinhos, ausência de desejos, polidez, conduta virtuosa e respeitosa.

As Características da mente predominante em Rajas: raiva, tendência a machucar os outros, mágoa, grande desejo por prazer, orgulho, luxuria, falta com a verdade, covardia, egoísmo, orgulho na riqueza, busca o excesso de movimentos.

As Características da mente predominante em Tamas: ateísmo, tristeza, preguiça, pensamentos ruins, desejo por atos maldosos, prazer na maldade, sonolência, ignorância, pensamento irracional e insensatez. (Bhavamisra, trad Murthy, 2008: vol I, p 13 e 14 e Bhavamisra, trad Sitaram, 2006: p 11 e 12)

Porem, o Chandogya Upanishad, texto do Sama Veda e considerado um dos upanishads mais antigos, afirma: “A comida que ingerimos toma três diferentes caminhos: a parte mais grosseira torna-se as excreções, a porção média é transformada na carne (corpo físico) porem a parte mais sutil irá formar a mente”. Com esta  colocação fazemos uma relação direta entre aquilo que nós ingerimos e a qualidade dos nossos pensamentos e emoções. A filosofia indiana aconselha uma alimentação que aumente Sattva (espiritualidade e sabedoria) na nossa mente. A dieta sattvica recomenda os seguintes alimentos: frutas, verduras, legumes, cereais integrais, leite orgânico, ghee, castanhas e mel. Com o objetivo de acalmarmos nossa mente e alcançarmos mais profundidade nas praticas de meditação devemos aumentar estes alimentos na nossa dieta.

O Ayurveda diferencia os Doshas mentais dos Doshas físicos: “Os fatores de adoecimento no corpo são Vata, Pitta e Kapha enquanto os da mente são Rajas e Tamas” Com isto Charaka difere os Doshas do corpo; Vata, Pitta e Kapha  daqueles Doshas psíquicos que são Rajas e Tamas e geram os distúrbios psicológicos. Notamos que Sattva não é Dosha pois promove equilíbrio e aumenta-lo é o objetivo desta racionalidade indiana. No verso seguinte Charaka explica a terapêutica para acalmar as caracteristicas Rajas e Tamas na mente e aumentar a qualidade Sattva:

  • 1- Jnana: conhecimento espiritual ou conhecimento discriminativo (auto-conhecimentro).
  • 2- Vijnana: conhecimento das escrituras ou conhecimento da verdade.
  • 3- Dhaira: coragem e auto-controle para mudar nossos hábitos.
  • 4- Smriti: memória (lembrar daquilo que faz bem e evitar os hábitos deletérios).
  • 5- Samadhi: êxtase espiritual ou auto-realização ( objetivo das práticas de Yoga).

Abaixo colocamos as principais características mentais de cada Dosha:

  • 1- Mente Vata (ar e espaço): criativa, sonhadora, rápida, inquieta, ansiosa, impaciente, dispersa, medrosa, instável e hiperativa.
  • 2- Mente Pitta (fogo e água): determinada, belicosa, concentrada, inteligente, trabalhadora, agressiva, crítica, competitiva e ciumenta.
  • 3- Mente Kapha (água e terra): calma, tranquila, relaxada, com compaixão, preguiçosa, apegada, possessiva, tendência a depressão e sonolência.

Porém, citamos abaixo a sintomatologia psico-emocional de cada Dosha:

  • 1- Vata: medo, ansiedade, inquietação, psicose, instabilidade, mudanças de humor e insônia.
  • 2-Pitta: culpa os outros, agressividade, raiva, ambição excessiva, sempre em guarda, belicosidade, em guerra com o sigo mesmo e com o passado, críticas destrutivas.
  • 3- Kapha: apego ao passado, letargia, sonolência dependência, embotamento, devaneios.

Na tabela abaixo fazemos uma relação entre os 3 Doshas e os 3 maha gunas:

Na Bhagavad Gita, o principal texto do pensamento indiano, Sri Krishna responde uma importante pergunta de seu discípulo Arjuna : “A mente é agitada, ó Krishna, perturbadora, forte, determinada. Acredito que seu controle seja tão difícil quanto o controle do vento”  Resposta de Sri Krishna “Sem dúvida a mente é agitada e difícil de se controlar, porem com a prática (disciplina) e desapego, a mente pode ser controlada”  Bhagavad Gita, cap. VI, vers. 34 e  35

Este capítulo da Bhagavad Gita, Sri Krishna, enfatiza a importância da pratica regular de meditação. Centenas de pesquisas demonstram os benefícios da meditação regular e bem orientada: diminui o estresse, a ansiedade e a depressão, trata a insônia, melhora a autoestima, promove maior estabilidade emocional, concentração e memoria, desenvolve criatividade, diminui a hipertensão arterial, auxilia no tratamento da obesidade, alivia dor crônica, reduz dependência a drogas e gera mais saúde física e mental, qualidade de vida e autoconhecimento.

Terminamos com as citações de 2 grandes mestres indianos de Yoga:

“Como a luz curativa do sol, o Yoga é benéfico tanto para orientais quanto para ocidentais. Os pensamentos da maioria das pessoas são inquietos e caprichosos; é patente a necessidade do Yoga: a ciência do controle da mente.” Paramahansa Yogananda

“Não existe substituto para a realização do absoluto (auto-realização). Espera-se que seja o objetivo último da vida humana. Mas o homem mundano não imagina isto. Toda pessoa, neste mundo, pode transformar sua própria vida em um campo adequado para a auto-realização… Para isto ela deve iniciar uma prática de yoga…assim, mesmo vivendo no meio de uma vida familiar, a pessoa pode ser transportada para o reino da auto-realização”  Swami Sadhanananda, mestre de Kriya Yoga

Prof dr Aderson Moreira da Rocha, médico de família, reumatologista, especialista em acupuntura pela Associação Médica Brasileira e especialista em Ayurveda pela Associação Brasileira de Ayurveda

 

Últimos posts por Aderson Moreira da Rocha (exibir todos)