Nós observamos a devastação decorrente no nosso estilo de vida ocidental. As ditas “ doenças da modernidade” são encontradas em todos as raças, classes sociais e regiões. Qual de nós nunca de sentiu desconfortável, estressado, ansioso, angustiado ou deprimido? A insatisfação e a falta de completude são epidêmicas no século XXI. O “tempo” tornou-se algo muito valioso pois ao mesmo tempo é escasso e fugaz , temos a impressão que passa cada vez mais rápido e no final ficamos sem ele. Isto gera mais ansiedade e sensação que é impossível cumprir os prazos. Nos nossos devaneios e contemplações nos perguntamos se há resposta e onde se encontra esta solução ?

Há cerca de 2500 anos um sábio oriental se iluminou, após vários anos de busca, e respondendo a principal questão da humanidade ensinou o “caminho do meio”, como a verdadeira estrada do crescimento do ser humano. Nesta trilha é necessário a moderação e para atingirmos este nível é mister a simplicidade. Este mesmo Buda afirmou: “ quanto mais desejo nós temos menos feliz nós somos”. Sua filosofia enfatiza o desapego e o desprendimento como respostas fundamentais as questões do ser humano. Quão distantes nós estamos destes ensinamentos com a necessidade do último modelo, aquele da tecnologia de ponta ou da roupa “última moda” mas que agregam os preços mais “salgados”.

No século XX, Yogananda, outro iluminado indiano, mudou-se para o ocidente trazendo a mensagem dos mestres orientais. Certa vez afirmou: “ o prazer do Homem moderno é ganhar cada vez mais, não se importando com o que acontece a qualquer outra pessoa. Mas não é melhor viver de maneira simples, sem tanto luxo e com menos preocupações ? ” Mais tarde desenvolvendo esta filosofia ensinou: “ manter um excesso de bens toma muito tempo e muita energia…quanto mais “necessidades” desnecessárias você tiver, menos paz terá e quanto menos for possuído pelos seus bens, mais felicidade terá”.

A mensagem aqui é abrir mão das coisas desnecessárias e nos concentrarmos nas nossas verdadeiras necessidades, com uma vida mais simples temos condições de promover uma integração com as leis da natureza. Esta vida equilibrada que gera uma sintonia corpo-mente-espirito é descrita pelos sábios do Ayurveda. Esta filosofia médica oriental propõe uma solução para a insatisfação e falta de completude, prevalente na sociedade contemporânea, através do autoconhecimento que é o caminho para a sabedoria.

Aderson Moreira da Rocha

Médico de família, reumatologista, acupunturista e especialista em Ayurveda pelo Arya Vaidya Phramacy, tradicional escola de Ayurveda do sul da Índia. Mestre e doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UERJ, presidente da Associação Brasileira de Ayurveda e autor do livro “ A Tradição do Ayurveda” pela editora Águia Dourada.

Últimos posts por Aderson Moreira da Rocha (exibir todos)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *