A palavra  “hormônio” vem do grego e literalmente quer dizer “colocar em movimento”. Eles são secretados em uma região do corpo e viajam para atuar em outras áreas da nossa fisiologia. São divididos em 2 grupos: aqueles que são formados por aminoácidos ou peptídeos (como adrenalina, dopamina e serotonina), estes demonstram o relacionamento entre o sistema endócrino e os neurotransmissores e aqueles outros constituídos por esteroides ( como estrogênio, cortisol, progesterona e testosterona), são sintetizados a partir do colesterol ( sem colesterol não produzimos hormônios esteroides). Os hormônios exercem seus efeitos interagindo com receptores na superfície celular ou dentro da célula. Os distúrbios endócrinos resultam do excesso ou deficiência de efeitos hormonais.

Na visão oriental podemos classificar os hormônios em 2 tipos principais: os hormônios Yang ( quentes ou masculinos), aqueles do estresse (adrenalina e cortisol) e os hormônios Yin ( frios ou femininos), os chamados hormônios sexuais (estrogênio e progesterona) que são a raiz da saúde na mulher.  O equilíbrio hormonal é o fundamento essencial da nossa harmonia física, mental, emocional e social. Muitas mazelas modernas estão associadas á falta deste equilíbrio como: estresse emocional, alterações menstruais, distúrbios da menopausa, hipotireoidismo, insônia, fadiga e até depressão.

A sociedade no século XXI tornou-se muito Yang ( masculina ou quente), ou seja: rápida, acelerada, imediatista, agressiva e impaciente, todas qualidades masculinas. A energia Yin ( fria e feminina) aquela que promove mais calma, tranquilidade, paciência, tolerância e gentileza tornou-se algo raro e escasso. Estima-se que nos últimos 50 anos o estresse aumentou em 50% ou mais nas grandes cidades. Colocando de outra forma: o planeta tornou-se mais Yang ( energia masculina ) e menos Yin ( energia feminina), esta constatação aponta para um grande desarmonia na nossa energia vital, chamada prana pelos indianos. Observamos que as mulheres, por serem mais sensíveis, sofrem mais com este desequilíbrio do que os homens.  É comum escutarmos nossas avós afirmando que não tiveram problemas de TPM ou na menopausa pois o mundo delas, no século XX, era bem diferente do nosso.

O Ayurveda apresenta uma proposta para o nosso reequilíbrio hormonal através das suas diversas ferramentas terapêuticas naturais: dieta individualizada, plantas medicinais, atividade física adequada a nossa desarmonia, rotina diária de hábitos saudáveis, desintoxicação ( eliminação de toxinas acumuladas), massoterapia com óleos vegetais e prática de Yoga e meditação com orientação de profissional experiente. O fundamento desta filosofia médica indiana é o autoconhecimento que é o caminho para a sabedoria que promove integração e harmonia física, psicoemocional e espiritual.

 

Últimos posts por Aderson Moreira da Rocha (exibir todos)